"Não foi fácil, mas conseguimos cumprir o objetivo de abrir as quatro turmas no primeiro ano, tal como nos tínhamos proposto", garante Nuno Castela Canilho, gerente da EPVL. A escola mealhadense conseguiu abrir os cursos de Técnico de Mecatrónica, de Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores, de Técnico de Gestão, de Técnico de Restauração, na variante Cozinha/Pastelaria, e de Técnico de Desenho Gráfico. Cinco cursos que funcionarão em quatro turmas. A EPVL conseguiu abrir três turmas puras e esse foi o segundo objetivo concretizado a par do de abrir quatro turmas e todos os cursos. 
"Este ano, de forma transversal a quase todas as escolas profissionais portuguesas, foi mais difícil abrir as turmas", afirmou Nuno Canilho, que acrescenta: "A questão da diminuição da população escolar explica alguma coisa, mas não explica tudo. Parece-nos que houve um retrocesso face ao que era uma tendência crescente para a opção da via profissionalizante como primeira escolha dos alunos portugueses para a sua formação secundária". "Acreditamos que em breve veremos a evidência disto e esperamos compreender o que se passou", considera ainda.